6 de maio de 2013

A hora da amamentação chegou



Amamentação, ahhhhh palavra linda e significativa demais pra mim, foi um evento histórico.


Tanta ênfase porque há 10 anos atrás tive um nódulo na mama esquerda, onde foi diagnosticado CA de mama com malignidade e por este motivo precisei fazer 2 cirurgias, retirada de ¼ do tecido mamário e alguns tratamentos mais.
Talvez eu ainda faça um post contando sobre esse assunto, que pra mim é super resolvido, mas com certeza será bem longoooo.
Por esse motivo, sempre houve uma "incerteza" sobre conseguir ou não amamentar com o seio operado, o meu obstetra me explicou que eu deveria tentar sim, que o seio iria dar leite, e assim fui focando nessa ideia durante a gestação, eu queria muito amamentar meu filho.
Quando o Nickolas nasceu eu tive muita dor já no hospital, o seio encheu de leite, tinha muito messsmo e os machucadinhos no bico foram inevitáveis, as mamães que já passaram por isso sabem o quanto é complicado esse início, onde o bebezinho ainda está se adaptando a sua nova forma de alimentação, e onde a mamãe está passando pelo mesmo processo, tendo aquele pequeno serzinho lindo e todo fominha querendo se saciar desesperadamente.
No meu caso a situação se agravou porque eu só “consegui” amamentar com um (o seio operado deu leite, mas como saia em pequena quantidade fui levando apenas dessa forma).
Se algumas mãezinhas não conseguem dar conta de amamentar com 2 seios, imaginem como é com um só,  tendo um menininho e ouvindo a todo momento que “meninos são muiiito mais fominhas”  :)
Doeu muito, machucou, sangrou, eu cuidei e sarou.
É assim mesmo, com todas as amigas que falei sobre esse assunto colhi alguma história de desconforto no início, é nosso corpo passando por mudanças radicais, cabe a nós a persistência e um pouco de paciência porque para conseguir amamentar sem dor, basta não desistir.
Eu quero compartilhar algumas técnicas que me ajudaram nesse início.

1º DICA:
Ainda no hospital, um anjo vestido de enfermeira veio me salvar e me fazer uma “ordenha manual” que é quando retira-se o excesso de leite da mama manualmente.
A ordenha ajuda na maioria dos casos de dificuldade de amamentação, ela evita rachaduras, alivia as dores e ainda possibilita guardar leite materno.

Qual técnica utilizar? Muitas vezes as pessoas recomendam compressas, bombinhas e várias coisas, cada uma mais disparatada do que a outra. Cada pessoa funciona de um jeito. Depende também se a ordenha é para aliviar de "empedramento" ou se é para coletar leite, como a minha era a 1º opção, utilizamos toalhas molhadas com água gelada, massagens no leite empedrado e em seguida os movimentos de ordenha.

2º DICA
Utilizei as famosas intermediarias de silicone para o seio, isso ajudou demais a diminuir o atrito da sucção do bebê e assim facilitou a cicatrização das rachaduras.
Elas podem ser encontradas em qualquer farmácia e custam em média R$ 15,00.



3º DICA
No hospital ganhei 1 tubinho de pomada de lanolina (Millar), ela era passada após cada mamada, isso ajudou a hidratar e salvou tetas vidas, super recomendo.
4º DICA
Pesquise, leia e peça muitas dicas as mamães mais experientes, sempre tem alguma coisa que funciona, basta ter calma, o tempo de nosso corpo detectar a quantidade ideal de leite que o baby precisa é em média 15 dias, depois disso o corpo produz conforme a necessidade dele, sem empedrar e sem machucar nadinha.

Hoje tudo funciona normalmente por aqui, graças a Deus tô realizando um sonho e vivendo um dos momentos mais lindos e sublimes entre uma mãe e um filho.
Não há preço que pague a troca de olhares, o calor do corpo e a mãozinha dele me acarinhando enquanto é nutrido.
Essa é apenas mais uma descoberta e etapa que uma nova mamãe e seu filho devem viver.
Essa troca de carinho e afeto vai refletir por toda a vida e não tem preço, sem falar no fato de que o leite materno e o melhor e mais completo alimento que você pode dar ao seu baby.
Insista, vá em frente e seja feliz!
Um beijo de uma mãe leiteira apaixonada.

                                                     Meu amorzinho com 2 dias de vida!

Postar um comentário