20 de junho de 2013

Eu já havia lido esse texto antigamente (antes de ser mãe) e claro, na época não fez muito sentido pra mim.
Estranho como as coisas mudam, né?
Hoje eu devoro cada uma dessas palavras quase como quem mergulha no sentimento de quem escreveu ou no de quem ainda vai passar por isso.

É lindo e coerente demais, por isso resolvi compartilhar.

"Eles vão crescer e dispensarão nosso colo. 
Vai chegar a fase em que os amigos serão mais importantes que os pais. 
Que nossas demonstrações de afeto em público serão consideradas um grande ‘mico’. 
Que em vez de torcermos para que eles durmam, torceremos para que cheguem logo em casa. 
Que não se interessaram mais pelos velhos brinquedos. 
Que o alvoroço na hora do almoço vai dar lugar a calmaria. 
Que os programas em família serão menos atrativos que os churrascos com a turma. 
Que dirão coisas tão maduras que nosso coração irá se apertar. 
Que começaremos a rezar com muito mais frequência. 
Que morreremos de saudade dos nossos bebês crescidos"...

Por isso…

Viva o agora. 
Releve as birras. 
Conte até 10. 
Faça cosquinhas. 
Conte histórias. 
Dê abraços de urso. 
Deite ao lado deles na cama. 
Abrace-os quando tiverem medo. 
Beije os machucados (sim, beijo de mãe cura de verdade). 
Solte pipas. 
Brinque de boneca. 
Faça gols, comemorem, divirtam-se. 
Acordem cedo nos domingos para aproveitar mais o dia. 
Rezem juntos. 
Estimule-os a cultivar as amizades. 
Faça bolos. 
Carregue-os no colo.
Faça com que saibam o quanto são amados. 
Passem o máximo de tempo possível juntos… 

Assim, quando eles decidirem partir para seus próprios vôos, você ainda terá tudo isso guardado no coração.” 
"Autora Cinthia Moralles"

"Ah filho amado, pode ter certeza de que tudo isso eu farei com o maior prazer com você, cada minuto da minha vida tem muito mais sentido depois de sua chegada, todos os dias a mamãe reza pra Deus e pede muita saúde pra você e  pra mim, para que eu possa viver tudo isso com você.Te amo meu principezinho, Nickolas"


Postar um comentário