21 de abril de 2013

A decisão do tipo de parto



Desde adolescente acho que minha opinião já estava formada sobre o tipo de parto que eu queria ter, isso pode ser explicado pelo fato de eu conhecer muito bem as histórias que minha mãe me contou sobre como foram os partos dela (3 normais sendo que 1 deles foi fórceps e bem complicado, o que levou meu irmão a fazer 8 anos de tratamento na AACD em virtude de um estiramento do nervo do braço).
Sempre tive medo do parto normal e não tenho vergonha nenhuma de falar.
Também sou muito ansiosa e perfeccionista, gosto das coisas planejadas nos seus míniiiimos detalhes.
Na gravidez passei por muitos questionamentos, é bacana, as pessoas ficam mesmo super curiosas em saber como está o neném, de quantos meses, se você já tem tudo, o que está sentindo e a remanescente dúvida de “como será o parto”, cesárea ou normal?
Desde o começo eu sempre respondi que minha preferência era a 1º opção, mas senti por muitas vezes um certo "preconceito" em relação a isso, ouvi alguns comentários e frases em defesa ao parto natural, quase que me condenando por não pensar da mesma forma e me deixando por um momento indignada e brava como uma leoa constrangida.
Poxa, nada contra, acho lindíssimo e fiz questão de assistir a muitos vídeos, ler muito sobre o assunto, me informar de todas as maneiras possíveis, conversar com amigas que já eram mamães e após tudo isso a minha opção foi ter meu bebê de forma programadinha, como sempre quis. mais maquiada que o patati patatá
Após passar pela experiência posso falar com toda a sinceridade, o meu parto foi M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O, lindo e mágico como sempre quis, a recuperação foi incrível, não senti dor nenhuma, a cicatriz ficou quase imperceptível, bonita e o melhor: Eu não me sinto menos mãe por não ter optado por esperar a natureza decidir o momento "certo".
É bacana quando a gente tem a sensação de que acertou em alguma escolha, eu me sinto assim.
Claro que existem pessoas e pessoas e cada uma tem seu organismo e recuperação diferente, o parto natural é o mais indicado pelo Ministério da Saúde por "N" motivos que são provados estatisticamente etc e tal, mas como minha experiência foi ótima eu levanto a bandeira da cesariana  SIM e sempre faço questão de contar que passei por ela sem levar nenhum trauma.
Essa questão deve ser pensada e conversada com muito carinho entre mamãe e papai, é o momento mais importante da vida dos dois, sem esquecer do bebêzinho que também VIVE literalmente esse momento junto.!
Este quadro faz uma comparação entre as duas opções, quando o ví pela primeira vez estava grávida e me assustei surpreendi, como já disse é uma questão delicadíssima e que merece muita atenção...
Beijos da mamãe!



Matando um pouquinho da saudade da antiga casinha do Nickolas

Postar um comentário